Programa Espacial Brasileiro – O grande projeto tecnológico

Livro destaca um dos grandes projetos tecnológicos do Estado nacional.

Com o envolvimento do Brasil na Segunda Guerra Mundial, o país aumentou o interesse por tecnologia. O primeiro esboço do Programa Espacial Brasileiro (PEB), um dos grandes projetos tecnológicos do Estado nacional e um marco na área de pesquisas espaciais, surgiu nos anos 1960. Recentemente, Ana Lúcia do Amaral Villas-Bôas, doutora em Ciências Sociais e pesquisadora do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), lançou o livro “Programa Espacial Brasileiro: Militares, Cientistas e a Questão da Soberania Nacional” que discute a trajetória e as transformações do PEB durante o séc. XXI.

Traçando uma relação entre ciência e política, a autora busca verificar em que medida o Brasil, enquanto país em desenvolvimento e inserido no processo de globalização econômica, tem a possibilidade de constituir um projeto nacional de desenvolvimento relativamente soberano e sustentável, mediante sua capacidade nas tecnologias espaciais.

Uma das questões levantadas na publicação é o processo de institucionalização da ciência no Brasil e a implantação de um moderno sistema de Ciência e Tecnologia através de uma aliança entre cientistas e militares, culminando com a criação do CNPq, em 1951.

A autora conta que o período da ditadura militar foi especialmente contemplado pela ciência, pois foi a fase em que o Programa Espacial Brasileiro alcançou maiores investimentos. Segundo ela, conferiu aos militares um papel de destaque no quadro de atores sociais coletivos empenhados no projeto de desenvolvimento do país e as estratégias e alianças entre cientistas e militares.

* Leonne Gabriel é Estagiário de Jornalismo no Museu de Astronomia e Ciências Afins

Comments

comments