Sessões de Planetário nas escolas do Rio

Uma das atividades mais populares do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) é o Planetário Inflável. As pessoas são convidadas a entrar numa cúpula com aproximadamente 3 metros de altura e mais de 6 metros de diâmetro para ver projeções em seu interior que simulam o céu noturno. Os mediadores ensinam os detalhes da movimentação dos planetas, constelações, estações do ano, figuras mitológicas e outros aspectos do universo. Para popularização da ciência o MAST desenvolve o projeto “Planetário Vai à Escola”. O Planetarista Carlos Henrique, mais conhecido como Pelé, narrou à experiência de ir à escola:

“As luzes do cilindro se apagam. No céu de uma cidade grande só podemos ver as estrelas mais brilhantes, mas no Planetário podemos ver o céu do interior. Nesse momento, peço para todos abaixarem as cabeças e conto de um até cinco. Depois todos olham pra cima e ficam encantados”, disse Carlos Henrique que trabalha no MAST há 29 anos, sendo 20 como planetarista.

Durante o ano, às terças e quintas-feiras, o Planetário Inflável Digital vai às escolas públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro. As instituições de ensino que queiram participar dessa atividade precisam entrar em contato com a Coordenação de Educação em Ciências do Museu de Astronomia e agendar uma visita técnica para avaliar a possibilidade de receber o planetário. O estagiário do Planetário Igor Salmito falou sobre a importância da popularização da ciência:

“O planetário ajuda principalmente os alunos a se interessarem mais pela ciência que ainda é pouco divulgada e algumas vezes não compreendida. Nós conseguimos ir até as escolas para levar um conhecimento que a maioria deles não tem acesso. A recepção sempre é ótima, tanto professores quanto alunos tem curiosidade sobre o nosso universo”, contou Igor.

Em 2017 o projeto atendeu 100 escolas. Nas sessões do planetário é possível simular o céu de qualquer dia do ano com estrelas, constelações, planetas visíveis e perceber as diferenças que ocorrem ao longo do tempo. E ainda conhecer como se apresenta o céu noturno de outros países com latitudes diferentes do Brasil, uma verdadeira viagem no espaço sem sair do lugar.

O planetário inflável faz parte da programação do MAST desde o início da década de 1990. Foi o primeiro planetário desse tipo a ser usado no Rio de Janeiro. Hoje o museu conta com quatro planetários: dois digitais e dois analógicos. As sessões também acontecem regularmente no campus do MAST.

* Leonne Gabriel é Estagiário de Jornalismo no Museu de Astronomia e Ciências Afins

Comments

comments