Reserva Técnica da Coleção de Mobiliários será inaugurada

Foto: Bruna Aguiar/MAST

Realizar ações de proteção, pesquisa e comunicação de bens culturais que integram seu acervo, é papel de todo museu. O trabalho desenvolvido nessas instituições é fundamental para preservação das memórias e identidades culturais de uma sociedade e de um país. E essa também é a premissa do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), que vai inaugurar este mês, a sua Reserva Técnica da Coleção de Mobiliário, um espaço totalmente reformado e que recebeu um tratamento cauteloso e delicado.

Foto: Bruna Aguiar/MAST

Ao longo da obra, o cuidado com o bem-estar físico e de conteúdo do acervo foi a principal preocupação da equipe orientada por Marcus Granato, Chefe da Coordenação de Museologia do MAST. Ele afirmou que a Reserva Técnica de Mobiliário é fruto de um projeto idealizado no âmbito do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que buscava instalar e ampliar a infraestrutura necessária para a preservação de coleções científicas de suas unidades de pesquisa.

“O Ministério constituiu um grupo para trabalhar todas as suas coleções científicas, o que resultou em um projeto de encomenda à FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) chamado Coleções Científicas no MCTIC: Consolidação, Expansão e Integração. O MAST estruturou o projeto para atualizar a infraestrutura relacionada às coleções científicas, trazendo especialistas de fora do país e promovendo um intercâmbio de conhecimento entre o Museu Paraense Emílio Goeldi, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e o Instituto Nacional do Semiárido, todas instituições parceiras no projeto “, contou.

Foto: Bruna Aguiar/MAST

O coordenador detalhou toda a preocupação que teve com a estrutura da Reserva e com o material utilizado para atendimento à preservação do acervo. “A obra está perto do fim, um trabalho de adaptação do local para que realmente o espaço esteja em condições de ser chamado uma reserva técnica de mobiliário. Antes, tínhamos um lugar que era local de trabalho de pessoas, com revestimento de piso e paredes que não eram adequados para um depósito de objetos”, explicou Marcus.

Além do nivelamento, troca do piso e dos revestimentos das paredes, foi feita uma impermeabilização até a área da janela para impedir  umidade ascendente, evitando o aparecimento de  mofos, a substituição de toda parte elétrica e de iluminação, a forração e a instalação de portas metálicas e cortafogo. Cada detalhe foi cuidadosamente pensado segundo padrões e procedimentos técnicos para a conservação preventiva e a gestão de riscos de acervos museológicos.

A Reserva Técnica de Mobiliário possui uma área total de 63m², dividindo espaço para a coleção e um ambiente para pesquisa, com acesso à internet e mesas para os técnicos. Todo o trabalho visa, além de preservar as coleções, melhorar a divulgação de dados, aumentar a atratividade dos acervos, e ser um espaço de referência no tratamento e na preservação das coleções.

Comments

comments