Heliostato e os raios luminosos

Usado para estudos de fenômenos ópticos, a origem do heliostato está atrelada ao físico holandês Willem Jacob Gravesande e remonta ao século XVIII. Esse instrumento possui espelho (ou espelhos) e um mecanismo de acompanhamento do Sol que compensa o movimento de rotação da Terra. A partir daí, ele coleta e direciona os raios luminosos ao ponto desejado.

Ilustração / Reprodução de Internet.

Considerado um objeto para fins práticos, os heliostatos podem ser usados ​​em pesquisas relacionadas a estudos de luz. Na ilustração (ao lado), um heliostato em uma experiência de decomposição da luz. Note  que o raios solares, captados pelo heliostato, são direcionados para uma prisma que faz uma dispersão da luz branca e revela um conjunto de feixes coloridos. Após a realização de algumas experiências com prisma, Issac Newton concluiu que a soma dessas cores forma a luz branca

Por ser uma peça de pequeno porte, o heliostato torna-se muito útil para as expedições científicas de longa distância. Uma montagem de um telescópio antigo, com uma estrutura para movimento, exigência muito trabalho da equipe.

Foto: Eclipse de Sobral, 1919 / Acervo ON.

Em entrevista ao InforMAST, o coordenador do departamento de Educação em Ciências do MAST, Eugênio Reis, conta como era feita uma observação do céu com o auxílio de um heliostato: “Montava uma estrutura para o telescópio ficar em repouso na horizontal. A observação ocorria com o auxílio do heliostato – ou celostato – que ficava posicionado de maneira a refletir continuamente uma área determinada para o tubo da luneta “.

Ao longo da história, o heliostato foi ganhando novos formatos e funções. Na atualidade, este instrumento ganha importância em projetos de fontes de  energia renováveis.  

Usina solar / Reprodução de Internet

“As usinas solares usam espelhos para gerar energia. Você tem uma torre e uma série de espelhos em volta. Todos estes espelhos são heliostatos que acompanham o movimento do Sol e refletem sua luz para uma determinada área que esquenta com um tempo e gera vapor. Esse vapor pode movimentar turbinas e assim gerar energia.” – conta Eugênio.

A coleção do MAST possui três modelos de heliostato. Todos de procedência do Observatório Nacional. São eles: heliostato de Meyerstein, Foucault e de Silbermann. O primeiro, de fabricação alemã – Spindler & Hoyer, faz parte do corpo de instrumentos da exposição permanente “Visões da Luz”, situada no pavimento térreo do prédio MAST.

Sugestão de atividade: Disco de Newton

Fontes:

http://www.apolo11.com/lab/projeto=heliostato&posic=dat_20110528-140506.inc

http://site.mast.br/bases/sgm_consulta/telas/consulta/detalhe_consulta.asp?ID=1993/0103%20a,%20b,%20c,%20d,%20e&nome_obj=Heliostato%20de%20Meyerstein

https://es.wikipedia.org/wiki/Heliostato

Comments

comments