Diretrizes para assegurar a preservação do patrimônio cultural de C&T

A Carta do Rio de Janeiro sobre o patrimônio cultural da ciência e tecnologia, assinada por profissionais atuantes nas áreas da ciência e da preservação de patrimônio, em evento promovido pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) no último mês de julho, relaciona as diretrizes que devem ser adotadas na construção de políticas capazes de  salvaguardar esse patrimônio.

O documento indica, como primeira dessas diretrizes, o incentivo à prática do trabalho em rede que envolva “a inventariação, conservação e comunicação de bens culturais, e o desenvolvimento de programas e projetos particularmente relacionados ao Patrimônio Cultural da Ciência e da Tecnologia”

Estimular, incentivar, apoiar

Foto: Bruna Aguiar/MAST

Definindo  patrimônio cultural de Ciência e Tecnologia como o legado tangível e intangível relacionado ao conhecimento científico e tecnológico produzido pela humanidade, em todas as áreas do conhecimento, a Carta do Rio de Janeiro elenca ainda as seguinte diretrizes: incentivar as políticas de preservação in situ desse patrimônio, o envolvimento da sociedade, e a criação de linhas permanentes de financiamento público para a salvaguarda do patrimônio nas instituições de ensino, pesquisa e de preservação.

A Carta também recomenda: estimular a realização de avaliação prévia de bens materiais a serem descartados, promover fóruns de debate sobre a preservação e divulgação do patrimônio cultural de C&T, estimular a formação de profissionais capacitados para trabalhar nesse área;  promover e divulgar metodologias especializadas na conservação, documentação e comunicação desse patrimônio, e apoiar instituições que executem trabalhos de identificação, preservação e divulgação do patrimônio cultural da Ciência e Tecnologia no Brasil.

Clique aqui para acessar a Carta.

Assista o encontro na íntegra:

Parte 1:

 

Parte 2:

Comments

comments