A interação do MAST com o público na SBPC

SBPC 2017O Museu de Astronomia e Ciência Afins (MAST) teve participação ativa na 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada em Belo Horizonte entre os dias 16 e 22 de julho, na Universidade Federal de Minas Gerais. Os participantes que passaram no estande do MAST, localizado na Exposição de Ciência e Tecnologia (ExpoT&C), puderam participar das oficinas, palestras e atividades oferecidas pelo Museu.

Um dos destaques foi a exposição Astronomia Política na Primeira República: Entre Eclipses e Cometas, uma mostra de charges publicadas entre 1906 e 1918, que relacionava astronomia à política. “O MAST participa da SBPC há muitos anos. Nesta edição, a gente trouxe uma discussão sobre política relacionada à ciência, usando astronomia como objeto de discussão em charges que foram publicadas no início do século XX, numa época em que a mídia dava muito destaque à ciência e o seu papel social.” , afirmou Heloisa Bertol Domingues, diretora do MAST.

O Museu se propôs a apresentar trabalhos que reforçaram a importância da ciência e tecnologia no desenvolvimento da sociedade. Com a visita diária de cerca de 400 pessoas em seu estande, novas ideias para conquistar o público foram elaboradas ao longo do evento, e o número de oficinas e palestras dobrou. Um dos exemplos foi o telescópio, disponibilizado para simular uma curiosa observação do céu: por meio de insetos.

Foto: Bruno Correia/MAST

Com o apoio do Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA), que forneceu cigarras e besouros, os visitantes foram estimulados a entender as funções do telescópio nas observações do céu. E como esse instrumento despertou a curiosidade dos visitantes, principalmente das crianças, o MAST realizou atividades de Observação do Sol e do Céu, onde era possível visualizar manchas solares, além de observar planetas, estrelas e fenômenos estudados pela astronomia.

Na edição deste ano, a SBPC criou o Spacemaker, uma área voltada para a cultura do “faça você mesmo”, que ofereceu ao público iniciativas que seguiam a filosofia de construção colaborativa. E o MAST foi protagonista neste espaço, realizando a oficina Como fazer uma lâmpada de LED, que fez muito sucesso com os visitantes.

Além de aprender a construir uma lâmpada, o público conheceu seus componentes e entendeu suas características para cada ambiente. “As palestras chamaram a atenção, pois além da curiosidade de se criar a lâmpada de LED, eles também conheceram as possibilidades de se inventar algo interessante com ela. Por exemplo, fizemos uma luminária com lâmpada incandescente dentro de uma lata de leite em pó, que poderia servir como abajur, difusor de perfume, desumidificador e até como uma espécie de aparelho de fisioterapia, já que emitia um calor suave”, declarou Joubert Poça, um dos responsáveis pela oficina.

Foto: Vera Pinheiro/MAST

O estande do MAST também foi destaque por ter apresentado alternativas de baixo custo, mostrando que é possível economizar e oferecer material de qualidade ao público. “O Museu inovou e o público percebeu que desenvolvemos uma mostra com tecnologia de baixo custo, mas com qualidade. Usamos alto display, que é essencialmente papelão, e fotografias com alta resolução, incluindo conteúdos digitais a partir de QR Code (leitor de código de barras) com realidade aumentada. Como deu certo na SBPC, agora vamos replicar em outras mostras, disseminando esta alternativa econômica para outras instituições do país. Queremos estabelecer parcerias para construir conteúdos deste tipo, montando exposição a partir de dobraduras, para divulgar em centro de ciências, escolas e universidades. É uma tecnologia barata, que não depende da presença física de um profissional, o que gera custos, atrelada aos conteúdos digitais com acompanhamento online, o que nos ajuda até a monitorar o acesso que a exposição está tendo”, afirmou Douglas Falcão, um dos organizadores do estande.

Foto: Vera Pinheiro/MAST

Além de seu estande, o MAST disponibilizou na área SBPC Jovem,  um dos grandes destaques da sua programação, o Planetário Inflável Digital. Pensado para atender ao público infantil, o Planetário foi um sucesso entre crianças, jovens e também adultos, que acompanharam  sessões diárias do vídeo  As oito maravilhas da Via Láctea, uma série de imagens projetadas simulando o céu noturno, os movimentos dos planetas e o movimento aparente das estrelas. Outro destaque dentre as atividades do Museu na SBPC foi a palestra “Os acervos do MAST e da Biblioteca da Academia Brasileira de Ciência e o Ecletismo na Construção do Observatório Nacional do Rio de Janeiro“, da pesquisadora Márcia Alves. A apresentação rendeu uma matéria no Jornal da Ciência, abordando o projeto arquitetônico do prédio e suas relações com outros observatórios, também construídos no início do século XX. Durante o evento, a jornalista Vera Pinheiro, do MAST, entrevistou cientistas e estudantes de ciências em depoimentos para a séria A ciência que eu faço, que está disponível em: site.mast.br/acienciaqueeufaco

A SBPC é a grande mostra científica brasileira, um evento onde o MAST tem a oportunidade de oferecer uma programação interativa, voltada para um público diverso, desenvolvendo atividades que evidenciam como a ciência está presente no dia a dia das pessoas.

Comments

comments