Vanderlei Salvador Bagnato

Em 1981, concluiu simultaneamente o bacharelado em Física pela Universidade de São Paulo e em Engenharia de Materiais pela Universidade Federal de São Carlos. Em 1987, realizou o doutorado em Física no Massachusetts Institute of Technology. Atualmente é professor titular da Universidade de São Paulo e coordenador da Agência USP de inovação. Publicou cerca de 500 artigos em periódicos especializados. Possui 24 capítulos de livros e 5 livros publicados. Orientou 42 dissertações de mestrado e 32 teses de doutorado, nas áreas de Física, Odontologia e Medicina. Atua na área de Física Atômica e Aplicações da Física nas Ciências da Saúde. Em 2009, foi eleito para The Academy of Sciences for the Developing World. É membro da Academia Pontifícia de Ciências do Vaticano desde 2012 e da National Academy of Sciences (USA) desde 2013.

Vanderlei revela que desde criança se interessou por ciência, em parte devido ao fato de seu pai ser dono de uma loja de galvanoplastia. Trata-se de uma técnica utilizada para aplicar revestimentos metálicos em objetos. “Despertava a minha atenção os serviços químicos que eram realizados”, lembra. A escola também contribuiu. Desde o primário, professores estimulavam os alunos em sala de aula com demonstrações de fenômenos e experiências científicas. “Quando você vê uma coisa acontecer, começa a acreditar que é capaz de realizá-la e contribuir de alguma forma para melhorar a vida das pessoas”. Outra experiência marcante citada por Vanderlei foi a temporada no MIT – Massachusetts Institute of Technology, uma das maiores escolas de física do mundo. Do grupo de trabalho do qual participou, oito integrantes receberam o Prêmio Nobel de Física. De volta ao Brasil, decidiu montar seu próprio laboratório, que entre outras inúmeras atividades, desenvolve equipamentos inovadores que utilizam a luz para tratamento e diagnóstico de doenças. “Por não utilizar radiação ionizante, como é tradicional na física médica, conseguimos analisar as células que estão no órgão ainda dentro do paciente. Assim, é possível determinar enfermidades e tratá-las antes mesmo que apareçam”, conclui.

Comments

comments