Brasil sedia Congresso de História da Ciência

A Ciência, a Tecnologia e a Medicina, entre o Global e o Local é o tema do 25o. Congresso Internacional de História da Ciência e Tecnologia, que  será realizado de 23 a 29 de julho no Rio de Janeiro. É a primeira vez que o Brasil sedia o evento, que acontece a cada quatro anos e é promovido pela União Internacional de História e Filosofia da Ciência e da Tecnologia, em parceria com comitês ou entidades do setor.

O Museu de Astronomia e Ciências Afins MAST/MCTIC participa da organização da programação do evento e é representado nos comitês internacional e nacional por Marcus Granato, Heloisa Bertol Domingues, Christina Helena Barboza, Moema Vergara e Alfredo Tolmasquin. O Congresso é uma realização da Sociedade Brasileira de História da Ciência.

Segundo os organizadores, a decisão de trazer para o Rio de Janeiro este encontro se deve ao reconhecimento internacional da consolidação da comunidade brasileira de historiadores em ciência, tecnologia e medicina, e à concentração nesta cidade, de importantes instituições dedicadas à formação de pessoal nesta área.

PROGRAMAÇÃO E PARTICIPAÇÕES

Conferências, sessões plenárias, mesas redondas, assembléias e simpósios temáticos e de trabalhos individuais integram a programação do 25º Congresso de História da Ciência, Tecnologia e Medicina, que contará com a participação de especialistas de  países de todos os continentes.

O congresso será aberto no Centro de Convenções da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, na tarde do dia 23, com a conferência “Trajetórias e desafios da História da Ciência na América Latina” proferida por Marcos Cueto, da Fiocruz. A partir do dia 24, toda a programação do evento acontecerá no campus Praia Vermelha, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

No dia 24, o destaque é o painel “A Ciência, a Tecnologia e a Medicina, entre o Global e o Local“, do qual participam Ana Maria Alfonso-Goldfarb, da  PUC/SP;  Cesar Lorenzano, da Universidad Nacional Tres de Febrero (Argentina); Catherine Jami, da École des Hautes Études en Sciences Sociales (França),e Hasok Chang, da University of Cambridge (Inglaterra). A coordenação será de Luiz Luiz Carlos Soares, da UFRJ.

Estão programadas ainda as seguintes conferencias: “Verdade, confiança e o fetichismo metodológico”, por Naomi Oreskes da Harvard University, “Isolamento na História da Ciência”, com Sujit Sivasundaram, da University of Cambridge e Métodos newtonianos em suas investigações óticas“, a cargo do presidente da Academia Internacional de Historia da Ciência, Alan E. Shapiro, da University of Minnesota,

A palestra de encerramento, a cargo de Olival Freire Junior da Universidade Federal da Bahia, tratará do tema “Relações científicas entre o Brasil e os Estados Unidos na época da Segunda Guerra Mundial: diplomacia cultural e movimentos transnacionais. O Congresso será encerrado com a entrega do “Prêmio Jovem Acadêmico” à melhor tese de doutorado apresentada no evento.

A programação do 25º. Congresso Internacional também prevê atividades culturais e sociais, incluindo visitas guiadas às seguintes instituições científicas do Rio de Janeiro: Museu da Vida (Fiocruz/MS), Museu Nacional (UFRJ), Museu de Ciências da Terra (MME), Jardim Botânico (MMA), Museu do Amanhã (Prefeitura do Rio de Janeiro) e MAST/MCTIC, onde haverá o 36ª Simpósio Internacional

Comments

comments