Caçador de Cometas canadense visita o MAST

Astrônomo David H. Levy com estudantes no Campus ON/MAST

O caçador de cometas David H. Levy aproveitou sua passagem pelo Rio de Janeiro para visitar o Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST). O astrônomo canadense, que já descobriu 51 cometas, esteve no Brasil para o 10º Encontro Internacional de Astronomia e Astronáutica, que ocorreu entre os dias 6 e 8 de abril, em Campos, no Rio de Janeiro. Ele é um dos principais palestrantes do evento, um dos maiores na área de divulgação de astronomia do mundo.

Astrônomo David H. Levy observando a Luneta 21.

“O MAST  é um lugar mágico, maravilhoso”, comentou David durante o passeio pelo museu. Quem  recepcionou o astrônomo foi Omar Martins, físico que  atua no Serviço de Comunicação do MAST. Ele contou que David fez questão de interagir com duas turmas de alunos que visitavam o museu. “Muito simpático, tirou fotos, deu autógrafos e contou um pouco sobre como surgiu, ainda na infância, seu interesse pela astronomia”, conta Omar. “Nunca pensei que um dia estaria conversando com crianças e as incentivando a fazer o que fiz anos atrás.”, acrescenta David.

O MAST também participou do 10º Encontro Internacional de Astronomia e Astronáutica. No dia 7 de abril, às 11h30, o físico do Museu, Douglas Falcão Silva, ministrou uma palestra “Pesquisa e Práticas Educativas em Popularização da Astronomia do MAST: 32 anos de Atuação”. Mais tarde, às 16h30, uma equipe da instituição realizou a oficina ASTROmania, que apresenta de forma divertida alguns conceitos relacionados a astronomia.

David H. Levy junto com os astrônomos Carolyn Shoemaker e Eugene Shoemaker descobriram o cometa Shoemaker-Levy 9 em 24 de março de 1993, através de uma fotografia tirada pelo telescópio Schmidt do Observatório Palomar na Califórnia. Partiu-se em pedaços e colidiu com Júpiter, em Junho de 1994, contribuindo para a primeira observação direta de uma colisão extraterrestre entre dois corpos do Sistema Solar.

A colisão criou uma grande cobertura midiática, e o cometa pode ser observado por astrônomos do mundo todo. Isso permitiu que novas informações sobre Júpiter fossem fornecidas e evidenciou sua serventia em condensar os resíduos espaciais no sistema solar interior. Shoemaker-Levy 9 foi o primeiro cometa visto orbitando um planeta.

Comments

comments