Estudantes participam de seleção para a OBA

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica vai selecionar estudantes para representar o Brasil nas competições internacionais.

Idealizar o futuro, traçar metas e fazer planos são características do ser humano. Para atingir os objetivos é necessário dedicação, perseverança e foco para alcançar, muitas vezes em longo prazo, um sólido conhecimento e entendimento do conceito estudado. E para os estudantes que se dedicaram e se destacaram na prova do ensino médio da XX Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), realizada em 2017, chegou a hora de começar a colher os frutos desta conquista.

Todos os estudantes da prova da OBA 2017, de nível 4, que obtiveram nota igual ou superior a 7.0, foram convidados para a fase online das seletivas 2018. Dos classificados, 88 alunos se inscreveram pela plataforma astroeducadores, parceria entre o Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) e o Observatório Nacional (ON), e participaram das provas presenciais, que aconteceram nos dias 19 e 20 de março, em Barra do Piraí, Rio de Janeiro.

Foram realizadas duas provas teóricas e duas observacionais: Planetário e Prática do Céu (Observação do Céu e Carta Celeste). O MAST, que é referência na divulgação da ciência,  disponibilizou o Planetário Inflável Digital para aplicação da prova. O astrônomo Eugênio Reis Neto, Coordenador de Educação em Ciências do Museu, é o representante da instituição na comissão da OBA, e responsável por todo o processo de seleção, correção das provas e capacitação das equipes.

Os 25 primeiros colocados por ordem de nota foram automaticamente classificados para a etapa seguinte, que consiste nos treinamentos presenciais. No entanto, foram convocados mais 8 estudantes, já que o grupo final necessitava conter no mínimo, 5 representantes de sexo feminino, 5 de escolas públicas, e 5 que não irão concluir o ensino médio em 2018.

Assim, foi enviada uma carta convite para os 33 estudantes classificados. Eles vão participar de dois treinamentos intensivos, com provas de avaliação em ambos. As preparações ocorrem no Observatório Abrahão de Morais (OAM), em Vinhedo-Valinhos/São Paulo, entre os dias 6 e 11 de maio e 9 e 15 de julho. Em cada uma delas, serão realizadas os mesmos tipos de avaliações apresentadas nas provas presenciais e que os alunos irão encontrar nas competições internacionais.

Após esta fase, 5 estudantes serão escolhidos para representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, sigla em inglês), sediada pela China, e outros 5 para a Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA), que será realizada no Paraguai. Ambas acontecem no segundo semestre deste ano. Os grupos que vão participar das duas Olimpíadas devem ser mistos, ou seja, compostos por meninos e meninas.

Eugênio Reis Neto falou da expectativa para as competições internacionais deste ano: “Nas Olimpíadas Latino-Americana, a nossa equipe tradicionalmente conquista a medalha de ouro. Isso mostra a eficiência de todo o trabalho realizado. Esperamos que os nossos estudantes também estejam inspirados para a Olimpíada Internacional, e consigam colocar o Brasil no primeiro escalão dos países participantes”, comentou o Presidente da Comissão de Seleção das Equipes.

Acesse AQUI a carta convite encaminhada aos estudantes classificados.

Comments

comments